quarta-feira, 9 de março de 2011

A crueldade numa tomada de posse

Foi a continuação do discurso da vitória nas presidenciais. Então, fez questão de deixar claro que não seria presidente de todos os portugueses. Hoje recordou-o e de forma mais dura, mesmo cruel. A direita aplaudiu o seu presidente. A esquerda deve seguir em frente, ignorando-o, não lhe dando troco.

1 comentário:

Arriaga disse...

Porra. Quem põe esta fronha no blog fica obrigado a largar mais cinco postas para a fazer desaparecer rapidamente. Não tens ideias? Vai aos blogs dos outros e cita-os.