quinta-feira, 7 de julho de 2011

De acompanhantes de luxo a meras… meretrizes



As agências de rating sempre foram umas meretrizes. Desculpem: umas putas.
Mas há quem, em tempos recentes, as tivesse por acompanhantes de luxo. Por isso:
  •        O PR pedia para não que não se diabolizassem os mercados e as suas agências, porque isso era feio;
  •        O agora secretário Moedas garantia uma subida do rating se fosse um governo social-democrata a aplicar o acordo com a troika;
  •        Por seu lado, PPC garantia que se tal acordo fosse aplicado pelo PS rapidamente chegaríamos à situação da Grécia…
Mas, repito, as agências são mesmo umas meretrizes. E agora o PR exalta-se e clama por intervenção europeia; PPC queixa-se de um murro no estômago, ele que deu um com o chumbo do PEC IV; Gomes Fininho, da SIC, enquadra isto na guerra entre o dólar e o euro e também numa estratégia que leve a que as próximas privatizações se façam ao desbarato; o presidente da CIP pergunta o que é que as agências querem mais; Duque sugere que não se ligue ao assunto; os banqueiros estão enfurecidos…
Concluindo: uma meretriz pode passar por acompanhante de luxo, sobretudo diante de quem pense que estamos a falar de coisas diferentes.
Mas a acompanhante de luxo de outrora é a meretriz de agora. Nem mais.

1 comentário:

emanuel disse...

Mudam os nomes mas continua a porcaria na mesma