sábado, 9 de julho de 2011

Um Senhor de Fontainhas - Ilha de Santo Antão


Assim estava e assim eu quis fotografar Teófilo Delgado, um Senhor das Fontainhas, 80 anos de idade.
Conhecedor de todos aqueles pormenores da História de Portugal que se aprendiam no seu tempo e também no meu, no ensino primário. Identificando quem andou por cá antes do primeiro rei, dos que a este se sucederam e seus cognomes. Dos episódios mais marcantes: a traição a Viriato, as tricas de Afonso Henriques com a sua mãe, a batalha de Ourique e o tal sinal divino aparecido nos céus, segundo se contava, as razões da perda da independência, a traição de Miguel de Vasconcelos. Pegando na narrativa, como dizia, aí iam os reis todos e seus cognomes, dinastia a dinastia. E chamou-me a atenção por estar a meter na primeira um rei que é da segunda.
Uma memória prodigiosa que lhe permite citar, com então se aprendia, as preposições simples naquela lengalenga a, ante, após, até, com… etc.
E houvesse tempo para mais…
E reforma, Sr Teófilo? Não precisa, vive bem assim, sem recorrer aos filhos. Assim quer dizer com a ajuda de uma pequena mercearia a cargo da esposa e onde pouco se vende num local daqueles.
Seis filhos: um juiz, outro a doutorar-se em matemáticas em Aveiro, um economista… apenas o mais novo ficou por ali…
Continue assim, amigo Teófilo, pois gostaria de voltar com mais tempo.

1 comentário:

carol disse...

Um espetáculo, esse Sr. Teófilo! Os cabo-verdianos, ao contráro dos restantes "colonizados" por nós, são muito instruídos!