segunda-feira, 27 de abril de 2009

As estatísticas consentidas para a PSP, porque deter... nem pensar!


Objectivos funcionais do guarda da PSP - Ano 2009
· Ajudar 50 velhinhas a atravessar as ruas do bairro; se não houver, inventa;
· Fazer a média diária de 50 km em voltas no bairro, em veículo da esquadra;
· Encostar-se às paredes 60 minutos por dia para apreciar as garinas que passam;
· Cumprimentar, sorriso nos lábios, 75 pessoas por dia;
· Olhar para o lado sempre que verifique que algo de anormal se passa, pelo menos 25 vezes por dia;
· Enviar para as amigas 35 SMS diários;
· Afagar a arma e o cassetete 75 vezes por dia;
· Aceitar 5 copos de três por dia, de cabeça destapada, porque nunca se bebe em serviço;
· Contar pelos dedos, sem consequências, o mínimo de 20 infracções ao CE na rua principal do bairro;
· Lavrar e rasgar de imediato 20 autos de ocorrência;
· Coçar-se, sem ofensas à moral, 15 vezes por dia;
· Limpar o suor da testa de meia em meia hora;
. Fazer pausas de 5 minutos entre cada uma das tarefas atrás citadas.

1 comentário:

2MOPinto disse...

Eu só espero que estes objectivos tenham o acordo dos sindicatos, tal como exige o Código Laboral.
Quanto ao número de detenções a fazer, deverá ser tida em conta a capacidade de cada Esquadra. Ora isso, só por si, deverá ser considerado inconstitucional porque os objectivos profissionais de cada Cívico não devem ficar reféns das condições físicas do local onde exerce a sua função.
Do mesmo modo, não poderão ter tratamento igual as Esquadras da Musgueira ou da Bairro do Restelo, por exemplo, das as muito diferentes populações que habitam naqueles aglomerados urbanos.
Por último, e não menos importante, não deverá ser descuidada a forma física de cada agente policial. Com certeza que não vão exigir que um cinquentão barrigudo obtenha os mesmos resultados que um homem de vinte e poucos anos e com frequência bastante assídua de ginásios, condição, esta, quase sine qua non para poder ser segurança de discotecas.
Só espero que, também neste capítulo, a eventual inconstitucionalidade não tolha tão nobres propósitos.
Tenho dito.