sábado, 18 de abril de 2009

E se fossem também a votos?

Acabada a campanha para o seu sindicato - eu sei que eles gostam de lhe chamar associação sindical - o sindicalista António Martins já se meteu nas que vêm aí. Prerrogativa de quem é juíz, que independência, isenção e discrição já há muito não são apanágio da classe.
E começa por clamar contra as maiorias absolutas. Que não senhor, há que evitá-las, pois põem em causa o poder dos juízes, a sua independência, como se não fossem eles mesmos a desbaratá-la.
Claro que isto, vindo de quem não tem o exercício do seu poder escrutinado, quais iluminados por dom divino, faz sorrir. E se fossem também a votos?

2 comentários:

aires disse...

Ora bem...
só não percebo
porque a imprensa em geral
dá tanto relevo
a estes meros dirigentes sindicais
que opinião publica representam?
abraço

ana disse...

E os blogues deles? São de arrepiar, umas vítimas, coitadinhos. E arrepelam-se contra os deputados, esses sim, uns canastrões a viver à conta do contribuinte (o que é verdade, grande parte nunca abriu a boca). Suas excelências gostariam de governar sem terem ido a votos...