sábado, 17 de outubro de 2009

Deixem lá a língua, não lhe cortem o pio. Que se lixe.

Até parece que a Pátria ficou em perigo porque uma triste decidiu exibir uma atroz ignorância ao mesmo tempo que mandava umas bocas nada simpáticas sobre os tugas.
Parece que se quer dar representatividade a quem confunde rio com mar, não sabe o que, em Sintra, pode significar um 3 colocado ao contrário no lintel de uma porta, para quem uma ditadura de quase 50 anos fica por uma de mais de 20, como se isto de ditaduras não fosse duro. E mais: que nem nos sabe imitar a cuspir. Foi penoso vê-la a cuspir daquele jeito, sem falta de jeito.
De repente, um coro de indignação. Comentários violentos na net, exigência de pedidos de desculpa aos tugas em comunicados de estimáveis entidades luso-brasileiras. Uma jornalista tuga chega mesmo à idiotice de sugerir que se proíba a sua entrada no rectângulo, quando a coitada ainda não aprendeu a cuspir como a gente.
Estamos a ser pouco exigentes nisto, ao considerar aquilo que a senhora fez e disse como ofensas. Como se pudesse ofender-nos quem quer.
Para mim isto só teve uma pequena vantagem: conseguir ligar o nome à cara da coitada. E nem nome nem cara me seduzem. Sou exigente, ou esquisito, sei lá. Talvez porque tenhamos por cá brasileiros e brasileiras bem porreiros. E esses é que interessam.

1 comentário:

Maria disse...

Assino em baixo , em cima , e dos dois lados!
A mim só me ofende quem eu gosto!
Lamento é a falta de cultura da "zuca" , não sabe de certeza que Cintra é Património Mundial.
Será que ela sabe o que é isso?
BjU da Maria.