quarta-feira, 18 de março de 2009

Eu me abstenho, em nome do Pai…

Pouco importam 22 milhões de seropositivos na África subsariana, com 1,9 milhões de infectados só em 2008, região onde se registaram três quartos das mortes por sida verificadas em 2007.
Preservativos “podem aumentar” o problema da sida, afirma o Papa para quem a solução está “num despertar humano e espiritual” e isto, então, irá melhor com despertadores, digo eu.
Depois temos os piedosos conselhos da ICAR - abstinência e fidelidade - as duas únicas maneiras de prevenir a sida. Conselhos fundados na força da tradição de uma igreja incapaz de olhar de frente um drama desta dimensão.
À letra lhe responde Dulcelina Serrano, directora do Instituto Nacional de Luta contra a Sida de Angola, com isto: “O nosso rebanho é maior que o do Papa (…) estende-se para lá do rebanho do Papa, dos que não aderem aos ensinamentos da Igreja e a esses também temos que oferecer alternativas e uma delas passa pelo conselho para a utilização do preservativo.”
Sobre o assunto, e particularmente em África, Bento XVI poderia ficar-se pelo silêncio. Mas prefere pôr em causa a luta de tantos: da ONU, da OMS e mesmo de instituições que, apesar das ligações á ICAR, se estão nas tintas para Bento XVI.

1 comentário:

aires disse...

este pobre homem é o máximo...
da asneira...

quase anula MFL no mesmo renhido combate de quem mais disparata...

enfim...

este é o mundo, os problemas e os liders que temos....

é também por isso que a luta continua!!!

abraço