sábado, 7 de março de 2009

O roer de pipocas e o ranger de cama



É fatal, em muitas salas, ficar-se ao lado ou próximo de quem aproveita uma refeição de pipocas para, já agora, ver um filme.
Com ruídos insuportáveis, desde o remexer nas pipocas, ao mastigar das ditas. Tudo em cima da banda sonora do filme, quando os filmes já não são mudos. E quando a banda sonora por vezes é tudo, ou quase. São alturas em que até apetece ser surdo, para não explodir de raiva.
E só serão indiferentes a isto aqueles que, noutras circunstâncias, preferem o ranger da cama a uma empolgante e erótica banda sonora. Se é que não aproveitam o acto para, igualmente, comer pipocas.

1 comentário:

Arriaga disse...

Prefiro as pevides.