sábado, 28 de março de 2009

Vem aí mais um santo

Martirizado pelos media, acaba de ser beatificado por decisão judicial que o ilibou da prática dos crimes de que foi acusado: corrupção, extorsão, abuso de poder e de peculato. Por falta de provas.
A canonização segue dentro de momentos. Milagre já há: a falta de provas.

2 comentários:

Milu - miluzinha.com disse...

Uma pessoa não percebe nada disto. Alturas houve em que era dado como certo que este senhor ia preso! Afinal é um ilustre inocente!

2MOPinto disse...

Mas que Mundo este!
Então não é que é mais fácil ser santo do que ser condenado?
Ao Condestável bastou fazer um milagre para subir ao altar. Neste caso eu também acredito que a marca do azeite teve uma importância quase decisiva.
Já o Sr. Avelino Ferreira Torres escapou à condenação apesar dos muitos crimes de que era acusado.
Será que os serviços do Vaticano são mais eficientes do que a nossa Polícia Judiciária?
Ou será que a Providência Divina é menos exigente para com os putativos santos do que os nossos tribunais com os quase comprovadamente criminosos?
Não é por nada, mas num curto espaço de tempo já são dois os “figurões” que escapam por entre as malhas da Justiça.
Agora já só faltava mesmo que um tal de Isal Tino de Morais e Oeiras - Não é erro, não. O nome é mesmo assim! - também saísse do tribunal em ombros, mesmo após ter confessado o que já é público.
Se for o caso, e continuando a fazer um paralelismo com a tourada, a ele caberá a orelha e talvez até o rabo, mas a nós, meros assistentes desta farsa judicial, só nos restarão os cornos do bicho, salvo seja.