sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Uma erecção natural espontânea…

Estas sugestões chegam de mansinho. Envelope fechado, tudo muito confidencial. Não vou questionar as razões que os levaram até mim. Mas não os chamei.
De qualquer modo, para quem interesse, as coisas podem passar-se assim: uma pílula às 21h00 e bastará aguardar pelas 21h30. Trinta minutos de grande ansiedade, imagino, mas, depois - é o que diz o folheto – eis uma erecção durante o tempo que se desejar, seja qual for a idade, seja qual for o nível de cansaço.
Logo à primeira toma, em 79% dos casos. Mas, previne o folheto, há que ser realista. Para quem tenha desistido do acto sexual há muito tempo, a erecção surgirá entre a segunda e a quarta toma. De tão científico, nem vale a pena perguntar por que não pode ser entre a segunda e a terceira.
E isto deve-se a quê? Pois ao facto da Blue-Pill (nome de baptismo da droga) conseguir compatibilizar todos os necessários componentes (minerais, vegetais, carotenóide, octosanol, antioxidantes…) no mesmo comprimido. O que nunca tinha acontecido até agora.
Carotenóide e octosanol? Claro! Não sei o que sejam, mas isso é fundamental. Doutro modo, para que trazê-los ao assunto?
O folheto só não explica, apesar de muito longo, o que se fazer perante uma dor de cabeça que surja, exactamente, naquela ansiosa meia hora entre a toma e o toca a marchar.
Mas não sejamos tão exigentes: a melhor droga não responde a tudo. Pode haver quem lhe ofereça resistências ou, doutro modo dito, quem se não ajeite, no momento certo, aos seus milagrosos efeitos.

1 comentário:

Arriaga disse...

Se estás com uma 'gaja' meia hora à espera da reacção do 'blue pill' é porque uma das duas já não dá. Enche um balão de Wiskye, acende uma cachimbada e joga à bisca lambida.