segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Keynes, Krugman e os buracos editoriais

Deve-se, retomando uma ideia atribuída a Keynes, permitir que se abram e tapem buracos sem qualquer utilidade futura apenas para que os trabalhadores estejam ocupados e tenham salário?”
Esta a pergunta de JMF no seu editorial, em que lamenta que, em Portugal, “o simples levantar de dúvidas dê origem a respostas em tom de comício, esteja-se no Parlamento ou num ‘debate interno’ do partido no poder”.
Mas, ó JMF, que raio de buracos são esses, que se abrem e fecham por não terem utilidade futura? Qual o idiota que os manda abrir e o inteligente que, por falta de utilidade futura, os manda tapar?
Espero que a CM de Lisboa, com receio de pedradas destas, não deixe de tapar os buracos que a invernia vai abrindo. Ou terá sido o Costa a mandá-los abrir?
Mas JMF não se fica por isto no seu editorial. Segundo ele, Paul Krugman é “um Nobel da Economia que se distinguiu mais pelas suas colunas de opinião do que pelo seu trabalho de investigação”. Que fosse. Facto é que Krugman, que ganha um Nobel como investigador, chega a todo lado enquanto colunista. Quem opina sem investigar ou sem estudar fica pela Rua Viriato.
Por outro lado, JMF não se dá conta do ridículo, parecendo não aceitar que é parte activa no baixo nível do debate de que tanto se queixa. E, de quem opina assim, bem pode dizer-se que se lhe paga para, quais buracos, escrever editoriais sem qualquer utilidade futura ou presente.
Publico de 09-02-09

4 comentários:

lino disse...

Então o homem tem dezenas de livros publicados, ensinou e ensina nas melhores universidades do mundo, faz parte dos 50 economistas mais influentes do mundo e o JMF só conhece as suas colunas do The New York Times? Que tristeza!

A. Moura Pinto disse...

Lino
Mas isso não é argumento para JMF.
Provavelmente, Krugman foi contra a guerra no Iraque. E para JMF isso basta.

contradicoes disse...

Venho retribuir e agradecer-lhe a visita e os comentários que me deixou no blog e sobretudo a sua preciosa ajuda na chave da sorte que contarei consigo para a partilha caso seja contemplado.

A Presença das Formigas disse...

Como dizia o Aristes num post:
O José Manuel Fernandes do Público, que continua a ignorar o que lhe dizia o professsor de português: "o teu problema não é só não saberes escrever, o teu problema maior é não saberes pensar".