sábado, 24 de janeiro de 2009

Então! Isso faz-se, sotôres?














Quatro dirigentes do Sindicato dos Professores do Norte demitem-se do PCP
23.01.2009 - 20h46 Lusa
Quatro dirigentes do Sindicato dos Professores do Norte (SPN) demitiram-se do PCP, acusando o partido de se imiscuir na vida interna da estrutura sindical. A decisão, segundo um dos demissionários, não foi tomada em conjunto.
"Os sindicatos são estruturas independentes quer o PCP goste ou não goste", disse Júlia Vale, membro do secretariado nacional e do conselho nacional da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e dirigente do SPN. Júlia Vale enviou uma carta à direcção nacional do PCP anunciando o desejo de deixar de ser militante do partido onde está "desde os 11 anos de idade". Abel Macedo, coordenador, juntamente com Manuela Mendonça, do Sindicato dos Professores do Norte, demitiu-se com uma longa carta onde explica os motivos que o levaram a abandonar o partido. Também Adriano Teixeira de Sousa e Carlos Midões, dirigentes sindicais, apresentaram cartas de demissão. Os antigos militantes do Partido Comunista Português (PCP) pretendem continuar a exercer funções no SPN. "Houve eleições em Maio de 2008, fomos eleitos e não é por sairmos do PCP que vamos deixar de pertencer ao sindicato", referiu ainda Júlia Vale. O Sindicato dos Professores do Norte integra a Fenprof e a CGTP. As demissões ocorreram na mesma semana, mas Júlia Vale garante que não foi "uma posição conjunta". "Houve uma coincidência de datas. Não combinámos demitirmo-nos, mas consideramos que existe um limite para tudo", frisou. Os professores acusam membros do PCP de "perseguição" dentro do sindicato. "Era militante, pagava as quotas, sou dirigente sindical, mas há dois anos que o PCP não me convocava para qualquer tipo de reunião", finaliza Júlia Vale.

3 comentários:

Milu - miluzinha.com disse...

Há algo nesta notícia que me intrigou! Júlia do Vale é militante ou coisa que lhe valha desde os 11 anos de idade!Será por tradição familiar? O que entende uma criança de política? Como é possível não ter mudado de ideias entretanto! Ao nascer já era cativa do partido, por assim dizer! Deus livre as nossas crianças de deparar nas escolas com professores deste tão baixo calibre!

2MOPinto disse...

Há muito tempo que não passava por aqui mas vejo que não perdi nada.
Continuo a ver que temos um governo que não merece crítica alguma, ainda que no seu seio contenha figuras como Mário Lino, M. Lurdes Rodrigues e/ou Manuel Pinho, para não falar em José Sócrates, homem impoluto e merecedor de todos os encómios.
Os Professores continuam a ser os maus da fita e até consigo ler aqui uma frase da comentadora de serviço que se refere a "professores de tão baixo calibre!". Será apenas porque eram militantes do PCP? Ou haverá uma qualquer outra razão? Já agora gostaria de saber, porque ler afirmações gratuitas e não fundamentadas faz-me pensar que as ditas palavras resultam apenas de alguma crise de azia ou de algum trauma escolar mal resolvido. Decerto que será uma opinião abalizada, tal como é a de Nicolau Santos, que se permite dizer que a culpa do estado a que chegou o ensino é, apenas e só, dos professores. Realmente. Se isto não é ser objectivo, o que mais poderá ser?
A continuar assim, ainda hei-de ver aqui um comentário – favorável, pois claro! - a uma opinião do Macaco Adriano, desde que esta seja de apoio a este governo, ora bem.
A propósito dos aumentos para a Função Pública, lamento que este teu espaço seja recente e não contenha a tua opinião acerca dos aumentos do ano passado, mas eu vou acreditar que também defenderias um razoável aumento, ainda que o governo que agora dá seja o mesmo que antes tirou. Mudam-se os tempos, quando há eleições à vista…
Há um aspecto que me faz pensar. Tu acusas os Professores, por exemplo, de serem tudo e mais alguma coisa apenas porque defendem, melhor ou pior, os seus direitos. E tu, defendes quem, ou o quê?
O que te faz mover nesta sanha contra os Professores?
É apenas o teu sentido de justiceiro contra os “privilégios” dos professores, essa cambada “de baixo calibre” que nada ensina e que não quer ser avaliada?
Estou curioso, confesso.
Nem o Público nem a SIC Notícias, dois perigosíssimos meios de comunicação comunista (só pode!), escapam só porque não dão o devido realce às notícias que favorecem o governo, mas eu acredito que já tenhas perdoado ao Mário Crespo, após a oportunidade que concedeu ao Dr. Alfredo Barroso para este comentar o veto do Presidente da República ao Estatuto dos Açores. De facto, haverá alguém mais isento do que o antigo Chefe da Casa Civil do Dr. Mário Soares (grande “amigo” de Cavaco Silva, como todos sabemos)?
E o Dr. António Barreto que se ponha a pau, senão também ele será posto de castigo, se persistir em escrever algo que fuja à ortodoxia dominante.
São estes e outros assuntos que me fazem sorrir. É que ao ler este teu blogue lembro-me sempre do Avante!. Tal como naquele jornal, também aqui abunda o sectarismo e a má fé. Mas eles são comunistas e, por isso, estarão justificados, não é verdade? Se até continuam a usar a cassete marxista-leninista, imagina…
Bem sei que é a minha opinião e que eu só aqui venho se quiser, é verdade. Mas não deixa de ser uma constatação.

Um abraço.

Mário

A. Moura Pinto disse...

Mário
No caso, comentas uma mera notícia da Lusa, como certamente reparaste.
Só o título é meu.
Um abraço